Programa de Pós-Graduação em Aquicultura (Conceito 6 da CAPES)

O Programa de Pós-Graduação em Aquicultura (PPGAq) está instalado numa região com grandes perspectivas de crescimento da atividade de produção de organismos aquáticos, tanto em águas marinhas e estuarinas quanto em águas interiores. O estado do Rio Grande do Sul tem apresentado taxas de crescimento significativas da produção e do consumo interno de pescado, especialmente na sua região central e no noroeste do estado. 
 
Neste contexto, o PPGAq, em sua área de atuação, tem a responsabilidade de desenvolver tecnologias aplicadas às condições locais, com espécies nativas e exóticas bem adaptadas ao nosso clima e com expressivos potenciais de produção. Os profissionais capacitados no PPGAq têm à sua disposição um mercado de trabalho em crescimento. Com a dedicação do nosso corpo docente e discente, o Programa de Pós-Graduação em Aquicultura obteve o Conceito 6 da CAPES, divulgado na última Avaliação Quadrienal.

Aplicação de probióticos como uma ferramenta de manejo da comunidade microbiana e do cultivo de Litopenaeus vannamei em sistema de bioflocos

Autor: Bárbara Linhares Hostins (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Wilson Francisco Britto Wasielesky Junior
Co-orientador: Dra Dionéia Evangelista Cesar
Co-orientador: Dr Peter Bossier (Universidade de Ghent/Bélgica)

Resumo

A presente tese teve como objetivo avaliar influência da adição de probióticos na densidade bacteriana, desempenho zootécnico e resistência a doenças ao longo da produção de Litopenaeus vannamei. O primeiro capítulo objetivou definir qual é o tempo adequado de aplicação do probiótico pós-cloração/decloração da água simulando a fase de preparação que precede a estocagem dos camarões; Além disso, a influência de Bacillus sp. sobre a densidade de Vibrio sp. Recomenda-se a aplicação de probióticos imediatamente após a desinfecção da água, e que a fertilização com carbono orgânico inicie 24 horas pós cloração/decloração da água. Através da adoção de tais procedimentos, torna-se possível obter-se uma redução de Vibrio sp. O segundo capítulo avaliou a influência do modo operacional do sistema de bioflocos na proteção contra Necrose Aguda do Hepatopâncreas (AHPND). Pós-larvas de L. vannamei foram cultivadas em 2 tipos de bioflocos, Autotrófico e Heterotrófico, com e sem probióticos. Após os 21 dias, os camarões foram desafiados com patógeno de AHPND em água clara e em bioflocos correspondentes a cada tratamento. Após 96 horas, observou-se um efeito protetor dos bioflocos heterotróficos, e autotróficos com probióticos, evidenciado pelas taxas de sobrevivência. O terceiro capítulo avaliou os efeitos da suplementação com probióticos na redução de lesões histopatológicas no hepatopâncreas (HP) ocasionadas por surto de vibriose, e compará-los em bioflocos e água clara. Após 30 dias, observou-se redução nas lesões do HP nos tratamentos com probióticos além de melhor desempenho zootécnico e sobrevivência dos camarões. O quarto capítulo comparou os efeitos dos probióticos sobre a densidade de Bacillus e Vibrio spp. no trato intestinal dos camarões cultivados em bioflocos e água clara. Verificou-se que o uso de probióticos reduziu a densidade de Vibrio sp., enquanto a abundância de Bacillus aumentou. O quinto capítulo objetivou identificar os efeitos de dose-resposta da inclusão de probióticos na ração dos camarões na fase de engorda. Sugere-se que aplicando 3 g de probiótico por kg de ração, em duas alimentações diárias contribuiu para melhor sobrevivência e redução na densidade de Vibrio. Além disso, os bioflocos desempenham função probiótica, considerando a presença de B. subtilis na água e no trato intestinal no início do experimento. Os resultados obtidos no presente estudo contribuem para o entendimento da ecologia microbiana no sistema de bioflocos, a qual é um ponto chave para o desenvolvimento deste sistema de cultivo.

TEXTO COMPLETO