Em 2015, a Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável como forma de promover ações que erradiquem a pobreza, protejam o meio ambiente e o clima, e assegurem paz e prosperidade para todas as pessoas. O Programa de Pós-graduação em Aquicultura da FURG (PPGAq) não teve dificuldades em se adaptar às propostas da Agenda 2030, já que, desde sua fundação, direcionou seus esforços para projetos relacionados diretamente aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O histórico do PPGAq, materializado nas suas diversas Dissertações, Teses e publicações científicas, está em consonância com várias das metas propostas pela Agenda 2030, mas em especial nos ODS destacados abaixo.

ODS 2. Fome zero e agricultura sustentável

Aumentar a produtividade e a renda dos pequenos produtores, particularmente mulheres, indígenas, agricultores familiares, e pescadores, inclusive por meio de oportunidades de agregação de valor e de emprego;

Garantir sistemas sustentáveis de produção de alimentos e implementar práticas resilientes, que aumentem a produtividade e a produção, que ajudem a manter os ecossistemas, e que fortaleçam a capacidade de adaptação às mudanças climáticas;

Manter a diversidade genética das espécies domesticadas e selvagens, inclusive por meio do desenvolvimento de técnicas de conservação (criopreservação) que permitam a formação de bancos de germoplasma.

 

ODS 3. Saúde e bem-estar

Reduzir substancialmente o número de mortes e doenças por produtos químicos perigosos, contaminação e poluição do ar e água.

Desenvolver sistemas de cultivos livres de patógenos e garantir um produto final saudável;

 

ODS 6. Água potável e saneamento

Proteger e restaurar ecossistemas relacionados com a água, incluindo montanhas, florestas, zonas úmidas, rios, aquíferos e lagos;

Ampliar a cooperação internacional e o apoio à capacitação para os países em desenvolvimento em atividades e programas relacionados à água e saneamento, incluindo a coleta de água, a dessalinização, a eficiência no uso da água, o tratamento de efluentes, a reciclagem e as tecnologias de reuso. 

 

ODS 7 - Energia limpa e acessível

  • Aumentar substancialmente a participação de energias renováveis na matriz energética global. 

 

 

ODS 12 – Consumo e produção responsáveis

Reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita;

Alcançar o manejo ambientalmente saudável dos produtos químicos e todos os resíduos, ao longo de todo o ciclo de vida destes, e reduzir significativamente a liberação destes para o ar, água e solo, para minimizar seus impactos negativos sobre a saúde humana e o meio ambiente. 

 

ODS 13 – Ação contra a mudança global do clima

  • Melhorar a educação, aumentar a conscientização e a capacidade humana e institucional sobre mitigação, adaptação e redução de impacto.

 

 

ODS 14 – Vida na água

Prevenir e reduzir significativamente a poluição marinha de todos os tipos, especialmente a advinda de atividades terrestres, incluindo detritos marinhos e a poluição por nutrientes;

Gerir de forma sustentável e proteger os ecossistemas marinhos e costeiros para evitar impactos adversos significativos, inclusive por meio do reforço da sua capacidade de resiliência, e tomar medidas para a sua restauração, a fim de assegurar oceanos saudáveis e produtivos;

Aumentar os benefícios econômicos para os países em desenvolvimento e os menos desenvolvidos, a partir do uso sustentável dos recursos marinhos, inclusive por meio de uma gestão sustentável da pesca, aquicultura e turismo

Aumentar o conhecimento científico, desenvolver capacidades de pesquisa e transferir tecnologia marinha, a fim de melhorar a saúde dos oceanos e aumentar a contribuição da biodiversidade marinha para o desenvolvimento dos países em desenvolvimento e os menos desenvolvidos;

Assegurar a conservação e o uso sustentável dos oceanos e seus recursos pela implementação do direito internacional, conforme a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, que provê o arcabouço legal para a conservação e utilização sustentável dos oceanos e dos seus recursos. 

 

As atividades e ações do PPGAq também demonstram o alinhamento aos ODSs 4 (Educação de Qualidade) e 5 (Igualdade de Gênero).

O PPGAq procura assegurar educação inclusiva e equitativa e de qualidade. Para que isso ocorra, a liberdade de pensamento e expressão são valores fundamentais, e que devem ser exercitados dentro de um ambiente de respeito mútuo, independentemente de raça, deficiência, religião, gênero ou orientação sexual. Com isso em mente, o PPGAq trabalha para eliminar disparidades de gênero e garantir a igualdade de acesso e formação profissional. Todos os processos seletivos de discentes do PPGAq respeitam a reserva mínima de 20% das vagas para estudantes negros, indígenas, quilombolas e com deficiência, conforme o Programa de Ações Afirmativas na Pós-Graduação da FURG (Resolução 004/2019 do CONSUN-FURG).

Em relação à igualdade de gênero, até abril de 2021, quando este texto foi atualizado pela última vez, o PPGAq contava com 271 egressos, os quais eram, na sua maioria (136), mulheres. A tendência de manutenção do balanço de gênero entre os egressos permanece, visto que, em abril de 2021, o PPGAq contava com 41 alunas e 30 alunos matriculados.

O PPGAq também se destaca nas seguintes metas propostas pelo ODS 4:

Aumentar substancialmente o número de jovens e adultos que tenham habilidades relevantes, inclusive competências técnicas e profissionais, para emprego, trabalho decente e empreendedorismo;

Garantir que todos os alunos adquiram conhecimentos e habilidades necessárias para promover o desenvolvimento sustentável, inclusive por meio da educação para o desenvolvimento sustentável;

Aumentar o contingente de professores qualificados, inclusive por meio da cooperação internacional para a formação de professores, especialmente dos países menos desenvolvidos.