Evaluación del sistema de recirculación de agua salina (RAS) formado por un lecho vegetado con espárragos marinos Salicornia neei Lag

Autor: Yasmin dos Santos Chaves (Currículo Lattes)
Tutor: Dr César Serra Bonifácio Costa
Co-tutor: Dr Geraldo Kipper Fóes

Resumen

Os sistemas de cultivo aquícolas estão cada vez mais intensivos, com maiores estocagens de animais e alimentos ofertados, resultando em elevadas concentrações de compostos nitrogenados e fosfatados, material em suspensão e dissolvido na água de cultivo. Dentre as tecnologias aplicadas na intensificação da produção de camarões marinhos no Brasil e resto do mundo, destaca-se a tecnologia de bioflocos (“BFT”, sigla em inglês de “Biofloc Technology”). Uma forma de reduzir o excesso de nutrientes vem sendo a integração de sistema de recirculação de água (“RAS”) com plantas aquáticas, de forma a absorver os nutrientes e gerar biomassa vegetal com alto valor econômico (i.e., RAS aquapônicos). O objetivo do presente trabalho foi a avaliação de um sistema de recirculação de água salina de um cultivo BFT do camarão marinho Litopenaeus vannamei (Boone, 1931), composto por leitos vegetados com a halófita nativa da costa brasileira Salicornia neei. O sistema aquapônico avaliado foi constituído por um clarificador, um reservatório de água clarificada e três canteiros em sistema de leito vegetado (cada um com 10 m2) com S. neei (densidade de plantio de 9 plantas m-2) e um tanque coletor. Após o estabelecimento das plantas de S. neei, em abril de 2019, as águas de um cultivo BFT do L. vannamei (estocagem de 168-421 camarões m-2) foram recirculadas através dos leitos vegetados ao longo de 45 dias. Foram avaliadas durante passagens diárias de água pelo sistema, os teores de sólido em suspensão, nitrogenados e fosfato nas águas de entrada e de saída dos leitos, além de outros parâmetros físico-químicos água, solo e do ar. O desenvolvimento e produtividade da S. neei nos canteiros foram avaliados por coletas periódicas da biomassa dos caules, e medições das alturas e ramificações, em duas parcelas de 0,5 X 0,5 m em cada leito. O clarificador por sedimentação utilizado mostrou ser incapaz de reter teores de sólidos suspensos totais (SST) menores do que 250 mg L-1 e apresentou uma eficiência máxima de 50%. As concentrações médias na água de entrada dos leitos de SST, nitrato, nitrito, NAT (nitrogênio amoniacal total) e fosfato foram de, respectivamente: 250,77; 39,1; 0,37; 0,07; e 1,53 mg L . Após a passagem pelos leitos vegetados as reduções médias dos teores de SST, nitrato, nitrito, NAT e fosfato foram de, respectivamente: 15,2; 15,4; 33,2; 30,4; e 74,0%. Reduções globais significativas foram observadas apenas para nitrito e fosfato. Durante avaliação da recirculação prolongada (13 dias), dentro desse período, os teores de nitrato na água caíram continuamente, chegando ao limite de detecção, enquanto o nitrito passou a ser absorvido eficientemente e o NAT incorporado a água quando esta passava pelos leitos. Condições anaeróbicas dos reservatórios e aeróbica no substrato do leito, criaram o padrão observado. Apesar da condição fortemente nitrificante no RAS aquapônico nas últimas semanas de avaliação, não ocorreu incorporação significativa de nitrato na água saindo dos leitos vegetados. Este resultado foi possível devido ao crescimento exuberante das plantas de S. neei, onde acumulou uma biomassa média de 3722 g m-2 de matéria fresca (372,2 g m-2 de massa seca) após 4 meses de crescimento nos leitos vegetados. A biomassa média de rebrote após 30 dias da poda foi de 1193,2 g m-2 massa fresca (117,3 g m-2 de massa seca) e as plantas de S. neei produziram cerca de 500 caules com tamanho comercial (10 cm) em cada metro quadrado. A alta produtividade e forma de crescimento de S. neei nos leitos vegetados apontam para um ótimo potencial comercial desta forma de produção aquapônica do aspargo marinho.

TEXTO COMPLETO