Controle dos níveis de bioflocos no cultivo de camarões e suas implicações com a qualidade de água e o desempenho dos animais

Autor: Carlos Augusto Prata Gaona (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Wilson Francisco Britto Wasielesky Junior
Co-orientador: Dr Luis Henrique da Silva Poersch

Resumo

A aquicultura tem produzido organismos aquáticos aumentando a densidade de estocagem, reduzindo a ocupação de áreas e o uso de água. A produção de camarões marinhos com a tecnologia de bioflocos (BFT) permite a prática de redução do uso de água, estimulando a produtividade natural que melhora a qualidade de água e adiciona alimento a espécie alvo. No entanto, a manutenção da água ao longo do ciclo gera aumento na quantidade de sólidos suspensos totais (SST), que podem interagir com parâmetros físicos e químicos, ocasionando mudanças na qualidade de água. Uma série de estudos foram executados buscando o aperfeiçoamento do manejo de sólidos suspensos para melhorar a qualidade de água e otimizar a produção de camarões marinhos, sendo três na Estação Marinha de Aquacultura (IO-FURG, Brasil) e um no Waddell Mariculture Center (WMC, EUA). Os capítulos da tese, referentes aos experimentos com camarões Litopenaeus vannamei em sistema BFT, tiveram como objetivo: (1) efeito de dois diferentes fluxos de bombeamentos de água durante o processo de remoção de sólidos suspensos por sedimentação; (2) analisar durante a formação de bioflocos, o efeito de diferentes níveis de sólidos suspensos na qualidade de água e performance dos camarões; (3) avaliar o efeito de diferentes concentrações de sólidos suspensos sobre o consumo de oxigênio e o desempenho zootécnico dos camarões; (4) avaliar o cultivo de camarões marinhos, integrando tilápias para o tratamento biológico de SST, bem como, o uso de ostras como biofiltradores e a possibilidade de integrar uma espécie de peixe carnívora ao sistema BFT. Todos os experimentos foram realizados em estufas. No Capítulo 1, um experimento de 17 semanas foi executado. Um controle sem remoção de sólidos foi comparado com dois tratamentos com diferentesfluxos de bombeamento: fluxo alto (HF) – 3945 L h-1e fluxo baixo (LF) – 1750 L h-1para remoção de sólidos. Melhores índices de desempenho zootécnico de L. vannamei foram alcançados com a remoção de sólidos. O tratamento com menor fluxo de água no clarificador facilitou a sedimentação. No Capítulo 2, três faixas de SST foram comparados durante 42 dias delineadas em três tratamentos: faixa baixa (TL) 100 – 300 mgL-1, faixa média (TM)300 – 600mgL-1(TM) e faixa alta (TH) 600 – 1000mgL-1. Os parâmetros de qualidade de água na menor faixa (TL) resultaram em melhor performance deL. vannamei. No Capítulo 3, os camarões foram mantidos em cinco níveis de SST: 250, 500, 1000, 2000 e 4000 mgL-1. Foi executado teste para medir o consumo específico de oxigênio (CEO) dos camarões após 24 e 42 dias do início do experimento. A performance foi semelhante nas cinco concentrações de SST. Análises de CEO e dos dados de desempenho sugerem uma adaptação de L. vannamei em baixas concentrações de oxigênio dissolvido. No Capítulo 4, dois sistemas multitróficos integrados foram montados com água recirculando em quatro circuitos fechados compostos por tanques separados para camarões, tilápias, tanques de sedimentação e red drumassociados às ostras. O estudo demonstrou que a aplicação do cultivo de camarões marinhos com a tecnologia de bioflocos em sistema multitrófico integrado resulta na redução de sólidos causada por organismos consumidores de subprodutos dos camarões. Como conclusão, as pesquisas mostraram que o controle de SST pode ser realizado por clarificação, podendo aumentar a eficiência do processo de sedimentação com o ajuste do fluxo mantido no clarificador ou por tratamento biológico com utilização de organismos consumidores de resíduos da produção de camarões. O manejo das concentrações de SST durante o cultivo de L. vannamei em sistema BFT gera benefício na qualidade de água e melhora os índices de desempenho zootécnico.

TEXTO COMPLETO