Efeito dos parâmetros químicos e físico-biológicos da água sobre o consumo alimentar de juvenis de camarão Litopenaeus vannamei cultivados em sistema de água clara e bioflocos

Autor: Paula Fraga Maicá (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Wilson Francisco Britto Wasielesky Junior
Co-orientador: Dr Kleber Campos Miranda-Filho

Resumo

A amônia e o nitrito, caso em elevada concentração na água de cultivo, podem afetar diversos parâmetros de desempenho e fisiológicos dos camarões peneídeos. A amônia e o nitrito tendem a se acumular e atingir níveis elevados, em sistemas de cultivo sem renovação de água; a alcalinidade, contudo, tende a reduzir, nesses sistemas de cultivo. Nos sistemas de cultivo superintensivos sem renovação de água, compõem- se os bioflocos ou sólidos suspensos, os quais tendem a se acumular e atingir concentrações elevadas. Os bioflocos atuam na manutenção do nível de nitrogenados e representam uma fonte de suplementação nutricional para os camarões. Todavia, a presença de sólidos suspensos, em quantidade excessiva, na água de cultivo é capaz de causar efeito negativo, tanto sobre a qualidade de água, quanto sobre o desempenho dos camarões. O presente estudo objetivou avaliar o efeito da amônia, do nitrito, da alcalinidade e dos sólidos suspensos sobre o consumo alimentar e demais parâmetros de desempenho de juvenis de Litopenaeus vannamei cultivados em água contendo bioflocos e água filtrada, clorada e declorada (água clara). Para tanto, durante 3 dias, camarões de 4,50 ± 0,27 g, 4,98 ± 0,36 g, 4,06 ± 0,34 g e 3,20 ± 0,22 g foram mantidos em recipientes de 3 L (1 animal/recipiente), respectivamente sob as concentrações Controle, 4, 8 e 12 mg/L de amônia, Controle, 6, 20 e 60 mg/L de nitrito, Controle, 50, 100 e 200 mg/L de alcalinidade e Água Clara, 325, 750, 1000 e 1500 mg/L de sólidos suspensos, com 5 repetições cada, em bioflocos e água clara. A temperatura, oxigênio dissolvido, salinidade, pH, amônia, nitrito, nitrato, alcalinidade e sólidos suspensos foram avaliados diariamente. O consumo alimentar, mensurado em um período de 1 hora, foi verificado uma vez ao dia e o ganho em peso, taxas de crescimento específico e conversão alimentar e sobrevivência foram avaliados ao final dos experimentos. Nos estudos da amônia e do nitrito, verifica-se que o consumo alimentar dos camarões não é afetado entre os níveis de nitrito e nos sistemas de água clara e bioflocos (0,10, 0,07, 0,08 e 0,06 g ração/camarão/hora e 0,10, 0,10, 0,09 e 0,09 g ração/camarão/hora, respectivamente); já na menor concentração de amônia, Controle, no sistema de bioflocos é afetado positivamente (0,12 g ração/camarão/hora). O ganho em peso e a taxa de crescimento específico são afetados positivamente nos menores níveis de nitrito, Controle e 6 mg/L, no sistema de bioflocos, e na menor concentração de amônia, Controle, também no sistema de bioflocos, onde apresentam os melhores resultados. A taxa de conversão alimentar não é afetada entre os níveis de nitrito e nos sistemas de água clara e bioflocos; contudo, na menor concentração de amônia, Controle, no sistema de bioflocos, é afetada positivamente. E a sobrevivência é afetada negativamente na maior concentração de nitrito, 60 mg/L, no sistema de água clara; todavia, entre os níveis de amônia e nos sistemas de água clara e bioflocos, não é afetada. Já no estudo da alcalinidade, observa-se que o consumo alimentar dos animais não é afetado entre os níveis de alcalinidade e nos sistemas de água clara e bioflocos (0,06, 0,05, 0,06 e 0,07 g ração/camarão/hora e 0,08, 0,07, 0,07 e 0,09 g ração/camarão/hora, respectivamente). O ganho em peso e a taxa de crescimento específico são afetados positivamente nas maiores concentrações de alcalinidade, Controle e 200 mg/L, no sistema de bioflocos, onde demonstram os melhores resultados. E a sobrevivência, assim como o consumo alimentar, não é afetada entre os níveis de alcalinidade e nos sistemas de água clara e bioflocos. E, por fim, no estudo dos sólidos suspensos, se verifica que o consumo alimentar dos camarões é afetado negativamente na maior concentração, 1500 mg/L de bioflocos (0,01 g ração/camarão/hora). E o ganho em peso, a taxa de crescimento específico e a sobrevivência, também são afetados negativamente no maior nível, 1500 mg/L de sólidos suspensos, onde apresentam os piores resultados. Assim, embora alguns parâmetros de desempenho dos animais não tenham sido afetados nos estudos realizados, a possibilidade de exposição à níveis inadequados dos parâmetros químicos e físico-biológicos da água, por longos períodos de tempo, pode afetar negativamente os camarões. Dessa forma, se ressalta a importância da manutenção da qualidade de água em condições apropriadas à espécie cultivada, independentemente do sistema de cultivo adotado, para que o seu melhor desempenho possa ser demonstrado.

TEXTO COMPLETO