Utilização de diferentes estratégias periódicas de fertilização orgânica inicial em viveiros revestidos na fase engorda do camarão branco Litopenaeus vannamei (Boone, 1931) em sistema com bioflocos

Autor: Rodrigo González Zúñiga (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Geraldo Kipper Fóes
Co-orientador: Dr Wilson Francisco Britto Wasielesky Junior

Resumo

A fertilização orgânica induz o estabelecimento de microrganismos que contribuem na boa qualidade da água, fonte de alimentação e aumento da sobrevivência do organismo alvo de cultivo. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a eficiência no desenvolvimento da comunidade microbiana e o efeito no desempenho zootécnico na fase de engorda do camarão marinho Litopenaeus vannamei em sistema de bioflocos com duas diferentes estratégias de fertilização orgânica inicial. O delineamento experimental consistiu em dois tratamentos com quatro repetições. Tratamento B3: a fertilização inicial foi feita durante três dias antes do povoamento. Tratamento B30: a fertilização inicial realizada durante 30 dias antes do povoamento. Foram estocados juvenis (1,73 g ± 0,9) em oito viveiros de 600 m2 na densidade de 75 camarões m-2. Os camarões foram alimentados duas vezes por dia com ração comercial contendo 38 % de proteína bruta (Guabi®), seguindo tabela de alimentação e observações diárias do consumo alimentar, além de que foram monitorados parâmetros físico e químicos da água ao longo de treze semanas de experimento (91 dias). Foram coletadas amostras de água para análises de comunidade microbiana. Foi observada diferença significativa para resultados de desempenho zootécnico entre os tratamentos B3 e B30 (P<0,05) para sobrevivência (69,13 % ± 7,96 e 78,76 % ± 1,34, respetivamente) e produtividade (5,80 ton/ha ± 0,78 e 6,84 ton/ha ± 0,14, respetivamente). Enquanto o tratamento B30 obteve maior peso final (11,58 g ± 0,44) e menor conversão alimentar aparente (1,51 ± 0,01). Ambos os tratamentos apresentaram uma maior quantidade de clorofíceas em relação às cianobactérias e ao longo do período de cultivo no tratamento B30 houve maior abundância de microrganismos tais como rotíferos, ciliados, flagelados, amebas e até o meio do período experimental a presença de nematódeos. A partir dos resultados alcançados foi possível concluir que o uso de fertilização inicial ao longo de 30 dias antes do povoamento é uma melhor opção para o desenvolvimento da comunidade microbiana e também eficaz para evitar concentrações elevadas de cianobactérias, proporcionando melhor qualidade de água ao longo do cultivo.

TEXTO COMPLETO