Sistema Aquamimicry: Alternativa tecnológica para sistemas de cultivo intensivo do camarão marinho Litopenaeus vannamei. Uma comparação com o sistema de Bioflocos (BFT)

Autor: Kim Morais Catalani (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Geraldo Kipper Fóes
Co-orientador: Dr Wilson Francisco Britto Wasielesky Junior

Resumo

O camarão Litopenaeus vannamei é a espécie de crustáceo com maior produção e maior  valor econômico principalmente devido à sua tolerância às diversas faixas de salinidade,  o que propicia um cultivo longe de áreas litorâneas e sua capacidade de suportar  elevadas densidades de estocagem. Entretanto, o sistema tradicional de cultivo destes  organismos, utilizando viveiros escavados na zona litorânea, pode gerar impactos ao  ambiente devido principalmente à descarga de efluentes, podendo causar eutrofização  da região costeira adjacente e afetando habitats marinhos. Além disso, a elevada  renovação e a instabilidade da qualidade da água de cultivo tornam os organismos mais  susceptíveis a patologias. Para minimizar estes graves problemas foram desenvolvidas  tecnologias que visam reduzir o impacto da produção aquícola ao mesmo tempo em que  atuam na melhoria do desempenho zootécnico dos animais. Entre estas tecnologias  estão o sistema BFT (biofloc technology) e mais recentemente a tecnologia  “Aquamimicry” ou aquamimetismo. O sistema BFT consiste na manutenção de uma  proporção específica entre carbono e nitrogênio favorecendo o crescimento de bactérias  heterotróficas as quais consomem o nitrogênio orgânico, melhorando a qualidade da  água e servindo como fonte complementar de alimento para os camarões. O sistema  Aquamimicry, similarmente, trata da inserção de uma fonte de carbono no ambiente de  cultivo sem que haja uma relação específica entre carbono e nitrogênio,  disponibilizando uma alimentação denominada “simbiótica”, ou seja, com uma fonte  prebiótica consistida geralmente de um oligossacarídeo proveniente da fermentação de  farelos, tais como de arroz ou soja e outra probiótica, como, por exemplo, cepas de  Bacillus sp., conferindo assim melhor desempenho do animal principalmente em  relação à resposta imunológica. Assim, o objetivo do presente trabalho consistiu em  realizar uma análise comparativa entre as tecnologias acima mencionadas, através dos  parâmetros de qualidade de água, desempenho zootécnico e os microorganismos  presentes no ambiente de cultivo. Para tal experimento, foram utilizados seis viveiros  (600 m2 de área cada) revestidos com mantas de PEAD. Foram propostos dois  tratamentos com três repetições cada, sendo um deles denominado Tratamento bioflocos  (TBio) utilizando fertilização orgânica realizada com melaço de açúcar e o segundo  tratamento denominado sistema Aquamimicry (TMi) no qual foram realizadas  fertilizações com farelo de arroz e cepas comerciais de Bacillus sp. Após o término do  período experimental (120 dias), os dados foram analisados e comparados, em relação  às duas tecnologias de cultivo do camarão branco Litopenaeus vannamei. Com  temperaturas médias de 24 °C, níveis de oxigênio dissolvido em torno de 8,0 mg/L, pH  médio com pouca variação (8,40) e alcalinidade se mantendo na faixa de 240 mg/L. Os  resultados obtidos dos parâmetros físico-químicos nos mostraram que ambos os  tratamentos tiveram condições de manter a boa qualidade da água de cultivo. Os  nutrientes analisados, da mesma forma que os parâmetros físico-químicos, se  mantiveram em níveis aceitáveis sendo os valores médios de amônia, nitrito, nitrato e  fosfato encontrados de 0,25 ± 0,32 mg/L, 0,33 ± 0,47 mg/L, 1,52 ± 1,0 mg/L e 0,10 ±  0,04 mg/L respectivamente. As comunidades microbianas presente nos sistemas  diferiram entre si no que diz respeito à abundância, sendo o grupo fitoplantônico  representado por clorofíceas, diatomáceas e cianobactérias, mais abundante no sistema  BFT enquanto que, no tratamento Aquamimicry, houve uma maior abundância no grupo  dos zooplânctons representados por ciliados, flagelados e rotíferos. No que diz respeito  ao desempenho zootécnico dos animais, houve uma similaridade entre as médias dos  tratamentos com pesos finais atingindo valores de 11,48 ± 1,50 g para o tratamento BFT  e 11,73 ± 2,21 g para o tratamento Aquamimicry, sobrevivências médias de 63,3 % e  53,3 % para o tratamento BFT e Aquamimicry respectivamente e produtividade de 4,08  ton/ha para o tratamento BFT e 3,56 ton/ha para o tratamento Aquamimicry. De acordo  com os dados analisados, podemos inferir que ambos os tratamentos se mostraram  eficientes na produção de camarão marinho em sistema intensivo com viveiros  revestidos, mesmo com algumas diferenças nos resultados encontrados entre o  tratamento BFT e Aquamimicry.

TEXTO COMPLETO SOB EMBARGO