Níveis de energia digestível e proteína bruta em rações para juvenis de Leporinus macrocephalus (Garavello & Britski, 1988)

Autor: Daniel de Sá Britto Pinto (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Mario Roberto Chim Figueiredo

Resumo

Este estudo avaliou os efeitos de rações formuladas com diferentes níveis de energia digestível e proteína bruta, mantendo-se a relação de energia:proteína em 10 kcal de energia digestível : g proteína bruta, sobre o desempenho zootécnico, composição proximal, taxa de excreção de amônia e variáveis hematológicas de juvenis de Piavuçu Leporinus macrocephalus (Garavello & Britski, 1988). Foram utilizados 180 juvenis de piavuçu (22,23 ± 0,31 g) distribuídos em 12 tanques, em dois sistemas de recirculação (15 animais por tanque). Os animais foram alimentados com 4 diferentes rações definidas pela relação energia digestível (ED): proteína bruta (PB), como segue: 2300 kcal ED kg-1: 230 g PB kg-1: 2800 kcal ED kg-1 :280 g PB kg-1, 3300 kcal ED kg-1: 330 g PB kg-1 e 3800 kcal ED kg-1: 380 g PB kg-1. O experimento durou 60 dias e o arraçoamento foi realizado 2 vezes ao dia (9 e 16h). Para a obtenção dos dados de desempenho zootécnico, todos os animais foram anestesiados com cloridrato de benzocaína (50 ppm) e submetidos à biometria nos tempos 0, 30 e 60 dias. Para as demais coletas realizadas ao final do experimento , 9 animais de cada tratamento (3 animais por repetição) foram utilizados para coleta de sangue. Logo após os animais foram eutanasiados com Cloridrato de benzocaína (250 ppm), seguido de secção da medula, para a realização da coleta de tecidos (fígado, musculo e carcaça). As amostras de tecidos foram utilizadas para a análise de glicogênio no fígado e no musculo, composição proximal das carcaças e o sangue para determinação dos parâmetros bioquímicos resultantes dos diferentes tratamentos alimentares. Para a determinação da taxa de excreção de amônia, 9 peixes por tratamento foram distribuídos, individualmente, em aquários de 6L de água. A taxa de excreção de amônia foi estimada a cada 2 h durante as 12 primeiras horas e a cada 4 h nas 12 horas restantes. Foi estimada também a taxa de excreção basal dos animais, submetidos a um jejum de 24 h. O desempenho zootécnico dos animais alimentados com as rações 3300 kcal ED kg-1: 330 g PB kg-1 e 3800 kcal ED kg-1: 380 g PB kg-1 foi significativamente superior aos demais tratamentos. A deposição de glicogênio no fígado foi significativamente maior nos animais alimentados com a ração contendo 3800 kcal ED kg-1: 380 g PB kg-1,enquanto que a deposição de glicogênio no musculo foi significativamente maior nos animais que foram alimentados com a ração 2300 kcal ED kg-1: 230 g PB kg-1. O teor de cinzas e a umidade foram significativamente menores enquanto que a deposição de lipídios na carcaça foi significativamente maior nos animais alimentados com a ração 3800 kcal ED kg-1: 380 g PB kg-1. A deposição de proteína na carcaça foi significativamente menor nos animais alimentados com a ração contendo 2300 kcal ED kg-1: 230 g PB kg-1. A taxa de excreção de amônia foi significativamente superior em todos os animais alimentados quando comparados ao metabolismo basal, sendo superior nos animais alimentados com as rações 3300 kcal ED kg-1: 330g PB kg-1 e 3800 kcal ED kg-1:380 g PB kg-1. Os resultados demonstraram que rações formuladas com níveis a partir de 3300 kcal ED e 330 g PB por kg de ração propiciam efeito positivo no desempenho de juvenis de piavuçu.

TEXTO COMPLETO