Reflexo do enriquecimento de n-3 HUFA nas larvas e reprodutores do barber goby Elacatinus figaro

Autor: Marcelo Roberto Pereira Shei (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Luís André Nassr de Sampaio
Co-orientador: Dr Luis Alberto Romano

Resumo

O presente trabalho analisou o efeito da suplementação alimentar com ácidos graxos n-3 HUFA sobre a performance reprodutiva e larvicultura do barber goby Elacatinus figaro, incluindo também a descrição da ontogenia do sistema imune. Durante quatro meses, dois grupos de reprodutores foram alimentados com ração comercial para peixes marinhos e biomassa de Artemia enriquecida e não enriquecida com n-3 HUFA. Reprodutores alimentados com ambas dietas foram capazes de desovar continuamente, não demonstrando diferenças significativas para freqüência reprodutiva (12,6 ± 0,7 e 12,0 ± 1,2 dias) e o volume dos ovos (0,49 ±0,01 e 0,48 ±0,01 mm3). A fecundidade foi maior no tratamento sem a suplementação de n-3 HUFA (329 ± 36 e 517 ± 50 ovos / desova). Um segundo estudo avaliou o efeito da suplementação da dieta com n-3 HUFA na sobrevivência e crescimento de larvas. Para isso, larvas recém eclodidas foram divididas em dois grupos experimentais, onde um grupo foi alimentado com rotíferos Brachionus plicatilis não enriquecidos e o outro grupo com rotíferos enriquecidos com n-3 HUFA. Aos sete dias após a eclosão (dah), o crescimento foi maior no grupo alimentado com rotíferos enriquecidos, mas aos 14 dah não houve mais diferenças significativas entre os grupos (6.09 ± 0.62 and 5.69 ± 0.66 mm). Nesse momento, apesar de não haver diferenças significativas, a sobrevivência das larvas alimentadas com rotíferos enriquecidos com n-3 HUFA foi três vezes maior (35,7 ± 3,1%) do que o grupo que recebeu rotíferos não enriquecidos (11,1 ± 5,2 %). Para a descrição do crescimento dos orgãos linfóides, amostras foram coletadas periodicamente entre 0 e 94 dah. A descrição se deu através de análises morfométricas do timo e rim e avaliação da expressão fenotípica (% / mm2) de CD3 e CD4 nesses orgãos. No momento da eclosão foi possível observar a presença dos rins (0.31 ± 0,01 mm) e do timo (0.03 ± 0.03 mm), alcançando respectivamente 1.23 ± 0,15 mm e 90 ± 1.41 mm aos 94 DAH. Quanto ao CD3, a primeira expressão fenotípica foi constatada no timo no momento da eclosão (71,25 ± 8,42 % / mm2) e no rim a partir dos 6 DAH (0,02 ± 0 % / mm2), aos 94 DAH as expressões alcançaram 90 ± 1,41 e 53,67 ± 1,53 % / mm2 no timo e rim respectivamente. O CD4 foi expresso inicialmente no timo aos 3 DAH (1,33 ± 1,15 % / mm2) e no rim aos 12 DAH (5,33 ± 1,53 % / mm2), alcançando respectivamente 22,00 ± 1,41 e 44,00 ± 2,00 % / mm2 aos 94 DAH.

TEXTO COMPLETO