Sistema de informação geográfica como ferramenta para determinação de áreas para o desenvolvimento da carcinocultura no litoral sul do Rio Grande do Sul

Autor: Rodrigo Randow de Freitas (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Luis Henrique da Silva Poersch
Co-orientador: Dr Paulo Roberto Tagliani

Resumo

No estado do Rio Grande do Sul, assim como é observado em todo mundo, a atividade de cultivo de camarões marinhos está em expansão desde a introdução do camarão branco do pacífico  Litopenaeus vannamei. Com o potencial para o crescimento produtivo, vem também um real aumento dos riscos de impactos ambientais e socioeconômicos, que podem afetar diretamente a sustentabilidade dos cultivos. Assim, visando alcançar um desenvolvimento da atividade através de um ordenamento costeiro integrado, orientado para a sustentabilidade socioeconômica, ambiental, espacial e cultural da região, estruturou-se em quatro capítulos a tese aqui apresentada. O primeiro teve como proposta identificar e caracterizar as áreas destinadas a cultivos de camarões marinhos localizadas na porção sul do estuário da lagoa dos Patos, empregando análises de sensoriamento remoto orbital (ETM+/Landsat, Google Earth), aéreo (35 mm/sistema ADAR 1000), terrestre (RICOH 500SE) e de saídas de campo, integrando os dados num Sistema de Informação Geográfica (IDRISI Andes). Nesse capítulo os resultados apontaram que os empreendimentos foram construídos sobre campos litorâneos ou em regiões de dunas obliteradas, regiões estas propícias para o cultivo. No segundo capítulo, que foi considerado um estudo piloto para os dois capítulos seguintes, foi proposto avaliar locais propícios destinados a instalação de fazendas de cultivo de camarões marinhos, na região da Ilha da Torotama, RS, considerando critérios de aptidão e restrição, integrando um modelo final de auxílio à tomada de decisão (SIG). A análise integrada dos critérios de aptidão e restrição ao empreendimento mostrou que o local escolhido para esta atividade apresenta aspectos positivos. Dentre eles, aponta-se a localização sobre campos litorâneos a proximidade de possíveis mercados consumidores e mão de obra local, via de acesso boa, rede elétrica disponível e apoio técnico local (Universidade Federal do Rio Grande - FURG, Estação Marinha de Aquacultura - EMA). Quanto ao terceiro capítulo, ele teve com objetivo definir áreas propícias para o desenvolvimento da carcinocultura marinha em viveiros escavados, na região do baixo estuário da Laguna dos Patos (São José do Norte), sul do Brasil. Sendo que, como resultado as áreas consideradas mais atrativas perfizeram um total de 5.300 ha (16,84%), enquanto 14.600 ha (46,78%) possuíram condições consideradas boas para a atividade. Por último, o quarto capítulo, procurou selecionar áreas propícias para a carcinocultura marinha no município de Rio Grande. Como resultado desse estudo, de acordo com a escala de atratividade (prioridade entre 1 a 4), cerca de 2.100 ha. (24,01% da área considerada como apta) com características mais atrativas, isto é, com excelentes condições; cerca de 3.100 ha. (34,80%) com condições boas; cerca de 3.600 ha. (40,37%) na margem do recomendado para a atividade; e por último, uma pequena fração, cerca de 70 ha. (0,82%) como áreas aptas, mas não recomendadas. A partir das informações obtidas nos capítulos apresentados no presente trabalho de tese, foi possível demonstrar o potencial do uso da técnica do SIG para a seleção de áreas propícias para a carcinocultura marinha local e também que a partir do material científico aqui produzido, poderão ser criados instrumentos que auxiliarão na tomada de decisões legais de gestão inerentes a atividade.

TEXTO COMPLETO