Mecanismo de rna de interferência (RNAi) como uma ferramenta biotecnológica para a sanidade e reprodução do Camarão Branco Litopenaeus vannamei

Autor: Rubens Galdino Feijó (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Luis Fernando Fernandes Marins
Co-orientador: Dr Rodrigo Maggioni

Resumo

Os estudos descritos nesta Tese envolvem a aplicação de métodos para o desenvolvimento da tecnologia do RNAi direcionada a terapia gênica de camarões L. vannamei infectados com o vírus da Mionecrose Infecciosa (IMNV) e ao estudo da reprodução do L. vannamei através do silenciamento pós-transcricional do gene que codifica para hormônio inibidor dos gônadas (GIH). No Capítulo I, metodologias para a detecção e quantificação por RT-qPCR e qPCR dos vírus da Mionecrose Infecciosa (IMNV) e do vírus da Síndrome da Mancha Branca (WSSV), respectivamente, foram desenvolvidas e efetivas para a detecção inédita da ocorrência da co-infecção com ambos os vírus em espécimes do camarão L. vannamei. No Capítulo II foi demostrado que o padrão de transcrição dos principais genes chaves do mecanismo de RNAi (Sid-1, Dicer-2 e Argonauta-2) do L. vannamei não é afetado pela infecção causada pelo IMNV quando da injeção de diferentes concentrações do inóculo viral e que o número médio de 2,55 x 103 cópias do IMNV detectados em tecido hemocítico pode ser considerado seguro para os sistemas de cultivos de L. vannamei sob condições ótimas. O Capítulo III descreve a produção de moléculas de dsRNA relacionadas a diferentes ORFs do genoma do IMNV (dsRNA-IMNV ORF1a, dsRNA-IMNV ORF1b ou dsRNA-IMNV ORF2) para a terapia de camarões L. vannamei infectados experimentalmente com 1,02 x 106 cópias do IMNV. Os tratamentos com as dsRNA-IMNV (ORF1a) e dsRNA- IMNV (ORF1b) se mostraram efetivos na inibição da replicação do IMNV resultando em sobrevivências de 90% e 80%, respectivamente, após 34 dias de desafio experimental. Os resultados obtidos neste capítulo sugerem uma exportação do sinal do RNAi pelo canal de transmembrana SID-1, sendo este evento diretamente associado à inibição da replicação do IMNV e, consequentemente, com a sobrevivência dos camarões desafiados. No Capítulo IV foi demostrado que apesar do “knockdown” dos níveis do mRNA do GIH detectados no pedúnculo ocular das fêmeas de L. vannamei injetadas com as dsRNA-GIH, o efeito sobre a expressão do mRNA da vitelogenina nos ovários e no diâmetro dos oócitos somente foi verificado no 37° dia pós injeção. Os resultado apresentados na presente tese confirmam o potencial da utilização da tecnologia do RNAi tanto para a terapia gênica de enfermidade virais como para o estudo da reprodução em camarões L. vannamei.

TEXTO COMPLETO