Estrutura gonadal da garoupa, Cephalopholis taeniops e da dobrada, Spicara melanurus

Autor: Marcia Perazzo Valadares Costa (Currículo Lattes)
Orientador: Dr João Carlos Brahm Cousin

Resumo

Cabo Verde é um arquipélago do Oceano Atlântico, próximo ao continente africano, com recursos naturais que se restringem praticamente aos recursos marinhos. A pesca é responsável pela segurança alimentar (proteína animal) e suas capturas têm diminuído nos últimos anos. A maricultura é uma alternativa promissora para Cabo Verde para a exportação e para o consumo local. Foram escolhidas duas espécies, a garoupa Cephalopholis taeniops e a dobrada Spicara melanus, para se iniciar os estudos sobre a biologia reprodutiva, focando o desenvolvimento gonadal e inversao sexual. Amostras gonadais foram fixadas em formol tamponado e líquido de Bouin, desidratadas em gradientes ascendentes de etanol (70%, 80%, 95% e 100%), diafanizadas em xilol, incluídas em parafina, seccionadas em cortes de espessura de 3 a 7μm e coradas com hematoxilina e eosina. A garoupa tem desova multipla, desovando de abril a outubro. São hermafroditas protogínico diândricos, com machos primários e secundários. Ovotestículos, foram detectados em indivíduos com comprimento de 280 a 450 mm. O tamanho da menor fêmea madura foi de 240 mm e do menor macho de 210 mm. Não foi observada diferença histológica entre machos primários e secundários, ambos com testículos com cavidade ovariana residual, estrutura lamelar e ductos espermáticos localizados dentro da parede ovariana. A dobrada tem desovas múltiplas, praticamente durante todo o ano. São hermafroditas protogínicos. Os indivíduos de menores e maiores tamanhos, na sua maioria são machos. Os machos apresentam testículos compactos, organizados em lóbulos contendo cistos de células germinativas masculinas. O tamanho da menor fêmea madura foi de 183 mm de comprimento furcal. Hermafroditas podem ser identificados tanto macroscopicamente como microscopicamente. O ovotestículo contêm tecido testicular e ovariano, com abundante atresia ovocitária, sugerindo a regressão ovariana.

TEXTO NÃO DISPONÍVEL