Efeito da dieta na qualidade de pós-larvas do Camarão-Branco Litopenaeus vannamei produzidas em sistemas de bioflocos (Boone, 1931)

Autor: Sabrina Medeiros Suita (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Wilson Francisco Britto Wasielesky Junior
Co-orientador: Dr Paulo Cesar Oliveira Vergne de Abreu

Resumo

A presente Tese teve como objetivo determinar a influência dos bioflocos (flocos microbianos) e de diferentes fontes de alimentos no desenvolvimento de pós- larvas do camarão branco Litopenaeus vannamei entre as fases de PL1 e PL30, através de indicadores de qualidade das larvas, técnicas histológicas para avaliação do hepatopâncreas e a técnica de isótopos estáveis de δ13C e δ15N. Esta Tese está estruturada na forma uma introdução geral, com levantamento bibliográfico sobre as fases iniciais de vida de camarões peneideos, além de critérios para verificação de consumo alimentar e avaliação de qualidade pós-larval e seus possíveis métodos de análise e quatro capítulos, além de discussão geral e conclusões finais. No capítulo I foram realizados dois experimentos com pós-larvas de Litopenaeus vannamei, o primeiro experimento testou pós-larvas entre as fases de PL1 e PL15 e o segundo experimento pós-larvas entre as fases de PL16 e PL30, ambos com dois tratamentos (bioflocos vs. água clara), comparados utilizando técnicas histológicas para avaliação do hepatopâncreas e critérios de qualidade previamente selecionados. Os resultados deste capítulo demonstraram que a produção de pós-larvas em meio à bioflocos resulta em organismos com melhor qualidade final e melhor desenvolvimento do hepatopâncreas e com maior presença de células digestivas, quando comparados aos cultivados em água clara. O capítulo II caracteriza a comunidade microbiana dos tratamentos testados (bioflocos vs. água clara) e utiliza a técnica de isótopos estáveis de δ13C e δ15N, para determinar a influência dos bioflocos, dos diferentes tipos de ração, de Artemia sp. e da microalga Chaetoceros muelleri no crescimento das pós-larvas. Estes resultados nos permitiram observar que, ao final do período experimental, os bioflocos são constituídos principalmente por protozoários e microalgas, e no sistema de bioflocos, as microalgas são mantidas sem necessidade de inoculações após o décimo dia, continuando a contribuir como fonte alimentar, pois embora pós-larvas assimilem em maior parte a ração específica para berçário, elas são capazes de consumir e incorporar os bioflocos aos seus tecidos. Nos capítulos III e IV foi utilizada a técnica de isótopos estáveis e a análise histológica do hepatopâncreas como ferramentas para análise de contribuição de diferentes fontes de alimento para o crescimento e status nutricional de pós-larvas de Litopenaeus vannamei, sendo o experimento do capítulo IV desenvolvido em meio à bioflocos e sem renovação de água e o experimento apresentado no capítulo V desenvolvido em meio à água clara com renovação de água. As fontes alimentares fornecidas foram Chaetoceros muelleri, Artemia sp. e ração comercial específica para berçário de camarões. No decorrer de ambos os experimentos foi detectado a colonização das paredes dos tanques por um biofilme, o qual foi considerado como fonte de alimento. No experimento do capítulo III verificou-se que a ração comercial contribuiu com uma maior parcela do crescimento de pós-larvas de L. vannamei, entretanto foi observada uma contribuição substancial dos bioflocos para o crescimento dos animais. O biofilme também contribuiu como fonte alimentar e, em conjunto com o biofloco, contribuiu na manutenção da qualidade da água. De acordo com os resultados das análises do hepatopâncreas e isótopos estáveis, pode-se concluir que os bioflocos e a microalga C. muelleri podem ser utilizados em substituição a Artemia sp., uma vez que ambas as fontes proporcionam que sejam produzidos organismos com boas características histológicas do hepatopâncreas, além de não necessitar de inoculações sucessivas ao longo do tempo. No experimento do capítulo IV verificou-se que houve assimilação do biofilme pelas pós-larvas, porém a assimilação do mesmo não foi eficaz para melhorar o desempenho e garantir a qualidade da água. A Artemia sp. apresentou- se como a fonte de alimento vivo mais eficaz para a qualidade nutricional de pós-larvas e seu fornecimento não deve ser substituido por C. muelleri durante a fase de berçário em meio a água clara. A partir dos resultados da presente tese pode-se concluir que a suspensão das renovações de água não gera prejuízos para a produção de pós-larvas de Litopenaeus vannamei podendo-se iniciar a produção em sistemas de bioflocos já desde a fase de PL1. Neste tipo de sistema as pós-larvas consomem e incorporam os bioflocos aos seus tecidos, além de apresentarem melhor padrão de qualidade do que aquelas produzidas em sistemas tradicionais. Em sistemas de bioflocos a oferta de Artemia sp. como fonte de alimento pode ser substituida com sucesso pela microalga C. muelleri.

TEXTO COMPLETO