Programa de Pós-Graduação em Aquicultura (Conceito 6 da CAPES)

Programa de Pós-Graduação em Aquicultura (PPGAq), atualmente avaliado pela CAPES com conceito 6, começou suas atividades em 2002 impulsionado pela expansão da aquicultura nacional. Após 20 anos de atuação, o PPGAq pode ser considerado um programa consolidado e que se caracteriza por desenvolver suas atividades em consonância com o Programa de Desenvolvimento Institucional e a própria vocação da FURG – uma universidade voltada aos ecossistemas costeiros e oceânicos. Tendo isso em mente, os docentes e discentes do PPGAq participam ativamente em inúmeros projetos de P, D & I com grande interação com parceiros brasileiros e estrangeiros.

 

Os projetos desenvolvidos no âmbito do PPGAq são direcionados à área de concentração do programa - Aquicultura, em suas três linhas de pesquisa:

- Produção de Organismos Aquáticos Vertebrados: com estudos voltados ao desenvolvimento de tecnologias de produção de peixes dulcícolas e marinhos;

- Produção de Organismos Aquáticos Invertebrados e Produtores Primários: com desenvolvimento de tecnologias de produção de camarões, moluscos, micro e macroalgas, bem como plantas halófitas;

- Biotecnologia Aplicada à Aquicultura: estudos relacionados à engenharia genética, produção de organismos aquáticos em sistema multitrófico, avaliação da utilização de compostos antioxidantes na aquicultura, processamento e bioprodutos extraídos de organismos aquáticos.

Em muitos casos, essas linhas atuam de forma integrada no desenvolvimento de sistemas inovadores de produção, como é o caso do sistema de bioflocos (BFT), sistemas de recirculação de água (RAS) e sistema multitrófico integrado (IMTA), onde as equipes de pesquisa do PPGAq estão na vanguarda do conhecimento no Brasil e no mundo.

 

A infraestrutura disponível aos pesquisadores do PPGAq permite a realização dos mais diversos estudos, com elevado desenvolvimento tecnológico, interdisciplinaridade, e, em muitos casos, aliado ao setor produtivo. Essas características proporcionam aos egressos muitas possibilidades no mercado de trabalho, seja no universo acadêmico e/ou empresarial, tanto a nível nacional como internacional. Com esses diferenciais, o PPGAq fornece subsídios e colabora com o alcance aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela ONU. Por meio de suas linhas de pesquisa, o PPGAq se enquadra diretamente em, pelo menos, 7 dos 17 ODS, em especial o ODS 2 – Fome Zero e Agricultura Sustentável (Garantir sistemas sustentáveis de produção de alimentos e implementar práticas resilientes, que aumentem a produtividade e a produção, e que ajudem a manter os ecossistemas), e o ODS 14 – Vida na Água (Aumentar os benefícios econômicos para os países em desenvolvimento e os menos desenvolvidos, a partir do uso sustentável dos recursos marinhos, inclusive por meio de uma gestão sustentável da pesca, aquicultura e turismo).

 

A formação discente do PPGAq pode ser avaliada pela inserção de seus egressos no mercado de trabalho como também pela qualidade de suas dissertações e teses. Nos últimos anos, três teses do PPGAq receberam indicações de Menção Honrosa no Prêmio CAPES de Teses (2013, 2015 e 2020), além do primeiro lugar no Prêmio VALE-CAPES de Ciência e Sustentabilidade (2013). 

 

Estação Marinha de Aquicultura "Prof. Marcos Marchiori"

Responsável: Dr Wilson Francisco Britto Wasielesky Junior

Sistema de Captação de Água Salgada: A captação da água salgada da Praia do Cassino é feita com uma bomba elétrica de 7,5CV através de uma tubulação de PVC. Existe também um sistema de emergência que é composto por uma bomba alimentada com óleo diesel, que pode ser instalada diretamente na beira da praia.

Sistema de Armazenamento de Água Salgada: Este sistema é composto por três conjuntos de reservatórios: a) reservatório para água bruta com capacidade de 140 mil litros; b) reservatório para água filtrada com capacidade para 80 mil litros; c) reservatório suspenso para abastecer o laboratório com água filtrada por gravidade com capacidade total de 21 mil litros.

Sistema de Filtração de Água: Ao sair do reservatório de água bruta a água passa por um sistema de filtro rápido de areia. Posteriormente, cada laboratório conta com um sistema de filtração próprio, dependendo de suas necessidades. Estes sistemas são compostos por filtros de cartucho com porosidade de 5, 1 e 0,45 micrômetros.

Sistema de Aeração da Água: A aeração da água do laboratório é feita por meio de sopradores de ar, instalados em séries de três sopradores. São dois sopradores em operação constante e mais dois sopradores de reserva.

Sistema de Fornecimento de Energia Elétrica de Emergência: Recentemente foi instalado um gerador de energia elétrica movido a óleo diesel, com capacidade de 55 KVA,que permite o funcionamento de todos os laboratórios da EMA.