Uso potencial da macroalga Ulva spp. integrada ao cultivo de camarões mantidos em sistema de bioflocos

Autor: Andrezza Carvalho Chagas (Currículo Lattes)
Orientadora: Drª Gamze Turan
Co-orientador: Dr Luis Henrique da Silva Poersch

Resumo

A utilização de sistemas de produção sem renovação de água, como o sistema de Bioflocos (BFT), tem como consequência o acúmulo de produtos nitrogenados e fosfatados ao longo do cultivo. Para evitar problemas com a qualidade de água, uma alternativa é a adoção da Aquacultura Multitrófica Integrada (IMTA), que propicia ouso destes resíduos por organismos de diferentes níveis tróficos. As macroalgas, como excelentes biofiltros e de importância econômica, são importantes constituintes desses sistemas. Portanto, este trabalho tem como objetivo determinar a viabilidade do cultivo multitrófico integrado entre camarões (Litopenaeus vannamei), e macroalgas (Ulva flexuosa e Ulva fasciata) em sistema de bioflocos, avaliando os efeitos dos sólidos suspensos totais (SST) nas macroalgas, a sua absorção de nutrientes e melhor densidade. Para isso os dois primeiros experimentos avaliaram o crescimento e o teor proteico das macroalgas U. fasciata e U. flexuosa cultivadas em água de recirculação de um cultivo de camarão em sistema BFT em diferentes concentrações de SST e em solução química von Stosch e PES (Provasoli’s Enrichment Solution) e suas concentrações de proteína. No terceiro experimento foi testado o desempenho na absorção de nutrientes e crescimento das macroalgas em cultivo integrado com L. vannamei. E por fim, no quarto experimento foram testadas diferentes densidade de U. fasciata no cultivo integrado com L. vannamei, buscando a otimização do processo de absorção de nutrientes. Os experimentos 01 e 02 ocorreram em laboratório com 35 e 17 dias de cultivo, respectivamente, em recipientes plásticos. Os experimentos 03 e 04 ocorreram em uma estufa agrícola, operando com 35 dias de cultivo em caixas com volume útil de 150L e aeração constante. Foram analisados os parâmetros físicos e químicos de qualidade da água, e os nutrientes: nitrogênio amoniacal total, nitrito, nitrato e fosfato. As biometrias dos camarões e a pesagem das macroalgas ocorreram semanalmente. Os camarões foram alimentados duas vezes ao dia (Guabi 38% PB, 1,6mm). Vimos que as macroalgas cultivadas em efluentes de bioflocos obtiveram maiores concentrações de proteína em seus tecidos e mesmo crescimento daquelas cultivadas em solução von Stosch e PES, mostrando que as concentrações de sólidos suspensos totais entre 400 e 650 mg/L não afetam seu desempenho. Quando integradas ao cultivo do camarão, a macroalga U. fasciata mostrou melhor absorção de nitrato no cultivo e biomassa final de 202,67 ± 53,67g, superior a U. flexuosa. Por fim a densidade inicial de 1g/L da U. fasciata obteve melhor resultado na remoção de nitrato. O cultivo multitrófico integrado do L. vannamei com a macroalga U. fasciata se mostrou viável e promissor na absorção de nutrientes, na melhoria dos parâmetros de qualidade de água e na produção de biomassa vegetal com valor agregado, abrindo oportunidades para a realização de uma aquicultura mais sustentável.

TEXTO COMPLETO