Efeito da interação sexual do jundiá (Rhamdia quelen) no desenvolvimento gonadal e qualidade dos gametas

Autor: Helena Hitomi Kumeda (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Ricardo Berteaux Robaldo
Co-orientador: Dr Luís André Nassr de Sampaio

Resumo

O jundiá (Rhamdia quelen) é uma espécie de siluriforme de água doce, nativa, com elevado potencial econômico, principalmente na região sul. O desenvolvimento gonadal dos peixes pode ser influenciado, através de estímulos pela sinalização química e contato físico entre os reprodutores. Em cativeiro, as matrizes de espécies não migratórias são separadas tradicionalmente por sexo para manter o controle reprodutivo.O jundiá, apesar de ser migrador lateral, os reprodutores são induzidos com hormônios exógenos, no intuito de potencializar a reprodução em cativeiro. O objetivo deste trabalho foi analisar os possíveis efeitos da interaçãoentre peixes do mesmo sexo e do sexo oposto relacionados à qualidade e o desenvolvimento gonadal. Foram utilizados 129 machos (575,50 ± 25,15 g e 38,29 ± 3,59 cm) e 129 fêmeas (1035,49 ± 57,37 g e 45,34 ± 2,92 cm), divididos em três grupos: machos e fêmeas (MF), só machos (M) e só fêmeas (F). Nos machos foi coletado o sêmen e foram avaliados: motilidade, vigor,  de células móveis, espermatócrito e o volume total do sêmen. Nas fêmeas foram coletados e medidos o diâmetro dos diâmetros dos ovócitos. O volume total do sêmen aumentou naterceira coleta (outubro) nogrupo M em relação a MF (10,7±5,6 e 2,37±1,1 mL, respectivamente). O espermatócrito foi maior no grupo MF (55,92 ± 9,69 %) em relação a M (49,30 ± 5,88%) na terceira coleta. O diâmetro dos ovócitos do grupo MF foi superior ao grupo M na terceira coleta O restante dos parâmetros não apresentaram diferença significativa entre os tratamentos. Os resultados demonstram que a manutenção conjunta de machos e fêmeas de jundiá, criados em cativeiro estimula o desenvolvimento ovocitário, reduz o volume, aumenta a concentração espermática e promove atitude reprodutiva espontânea.

TEXTO COMPLETO