Efeitos da temperatura sobre ovos e larvas do linguado Paralichthys orbignyanus

Autor: Marcelo Hideo Okamoto (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Luís André Nassr de Sampaio

Resumo

O objetivo deste trabalho foi determinar os efeitos da temperatura sobre ovos e larvas do linguado Paralichthys orbignyanus. Os ovos foram expostos às temperaturas de 14, 17, 20, 23, 26 e 29°C. Após a eclosão foi medido o comprimento padrão das larvas, calculado o volume do saco vitelino e o seu consumo, determinado o percentual de indivíduos mal-formados e a resistência das larvas ao jejum em cada temperatura. As larvas foram cultivadas nas temperaturas 17, 20, 23 e 26°C, sendo que 500 larvas foram distribuídas em tanques de 10 L e alimentadas com rotíferos e náuplios de Artemia sp. A cada cinco dias foi registrado o comprimento padrão das larvas e diariamente foi anotado o número de indivíduos mortos. Os resultados foram submetidos à Análise de Variância (ANOVA) e, quando encontradas diferenças significativas (P<0,05), foi aplicado o Teste de Tukey. O tempo para eclosão foi inversamente proporcional à temperatura, mas o percentual de larvas mal-formadas foi mais elevado nas temperaturas extremas, diminuindo nas temperaturas 20, 23 e 26 °C. O comprimento padrão das larvas recém-eclodidas foi semelhante (P>0,05) entre 17 e 29°C (1,76-1,81mm), mas foi significativamente menor (P<0,05) a 14°C (1,58 mm). O volume do saco vitelino foi inversamente proporcional a temperatura, com exceção das larvas eclodidas a 14°C, cujo volume foi inferior ao de 17°C. As larvas sobreviveram por mais tempo em jejum quando mantidas a 23°C. Houve 100% de mortalidade das larvas mantidas a 17°C no 12° dia após a eclosão, a sobrevivência foi significativamente menor (P<0,05) a 20°C (2,1%) do que a 23°C (11,7%) e 26°C (11,7%).O comprimento ao final da metamorfose foi semelhante a 20 e 26°C, 9,29±0,15mm e 9,02±0,11mm respectivamente, mas significativamente maior que o das larvas de 23°C, 8,23±0,07mm (P<0,05). A metamorfose foi completada mais rapidamente a 23 e 26°C (20 dias), do que a 20°C (35 dias). O índice de juvenis mal-formados após a metamorfose foi de 59% a 26°C, superior aos 21 e 17% obtidos a 20 e 23°C, respectivamente. Os resultados deste trabalho sugerem que ovos e larvas de linguado sejam mantidos a 23°C, pois apesar de nesta temperatura o crescimento ser menor, há uma boa sobrevivência e o índice de indivíduos mal-formados é baixo.

https://argo.furg.br/?BDTD96

TEXTO COMPLETO