Substituição da farinha de peixe por farelo de soja em dietas para o camarão-rosa (Farfantepenaeus paulensis)

Autor: Marcos Paulo Abe (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Ronaldo Cavalli

Resumo

Este trabalho teve como objetivo avaliar a substituição da farinha de peixe por farelo de soja em dietas práticas para o camarão-rosa, Farfantepenaeus paulensis. Seis dietas iso-protéicas e iso-energéticas, contendo diferentes proporções de farinha de peixe e farelo de soja, foram fornecidas a pós-larvas deste camarão durante 28 dias. Os níveis de substituição da farinha de peixe por farelo de soja foram 0% (controle), 12%, 24%, 36%, 48% e 60%, sendo as dietas experimentais denominadas de acordo com os respectivos níveis de substituição. Um sistema de recirculação de água com 24 caixas plásticas com 40 litros de água do mar e um filtro biológico de 200 litros foi utilizado. Cem pós-larvas (PL10) de camarões, com peso inicial de 1,22 mg (± 0,44) e comprimento total de 7,77 mm (± 0,93), foram distribuídas aleatoriamente em cada uma das unidades experimentais. As médias (± desvio padrão) de temperatura, salinidade e pH durante o período experimental foram 27,6ºC (± 0,9), 34,2 (± 1,0) e 8,09 (± 0,05), respectivamente, enquanto a de oxigênio dissolvido ficou em 7,30 mg/L (± 0,37). Já as concentrações médias de amônia total e nitrito foram 0,05 mg/L N-AT (± 0,02) e 0,03 mg/L N-NO2- (± 0,05), sendo que, ao final do experimento, o nitrato alcançou 2,27 mg/L N-NO3 -. A dieta com 60% de substituição da farinha de peixe foi a que resultou no maior ganho de peso (p<0,05). Já a dieta controle resultou no menor crescimento (p<0,05). De forma similar, a TCE também foi maior para a dieta 60% e menor para a dieta 0% (p<0,05). O peso final variou de 20,84 a 27,37 mg e a taxa de crescimento específico (TCE) ficou entre 9,1 e 10,7 %/dia. A taxa de sobrevivência dos distintos tratamentos variou entre 70 a 80%, não sendo detectadas diferenças significativas (p>0,05). De acordo com as condições do presente estudo, podemos concluir que a substituição de até 60% da farinha de peixe por farelo de soja em dietas práticas resulta numa maior taxa de crescimento específico e consequentemente no peso final do camarão-rosa F.paulensis, sem alterar a sobrevivência.

TEXTO COMPLETO