Utilização de probiótico no cultivo super-intensivo do camarão-branco (Litopenaeus vannamei) em um sistema sem renovação de água

Autor: Gustavo Queiroz Lima de Vita (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Wilson Francisco Britto Wasielesky Junior

Resumo

O presente estudo teve como objetivo avaliar o efeito do probiótico tanto na qualidade de água, como no crescimento e conversão alimentar de Litopenaeus vannamei cultivado em um sistema super-intensivo sem renovação de água na presença de flocos microbianos. Para tanto, durante 30 dias experimentais, juvenis de L. vannamei com peso médio inicial de 0,047 ± 0,024g foram cultivados em 8 tanques retangulares de concreto pintados com tinta epoxi (1,43 m2, 750 L) em uma densidade de 300 camarões/m2 em 2 tratamentos com 4 réplicas. No tratamento Probiótico (P) foi aplicada uma dose inicial de 2 ppm seguida de doses diárias de 0,5 ppm de probiótico (um produto comercial composto por 5,0 x 105ufc/g de Bacillus subtilis e Bacillus licheiniformis; ProW INVE®). Nos tanques do tratamento controle (C) os camarões foram cultivados sem adição de probiótico. Para o desenvolvimento do floco microbiano, todos os tanques foram fertilizados com uma aplicação inicial de melaço e farelo de trigo como fontes de carbono para incentivar o crescimento de bactérias heterotróficas. Além disso, durante o período experimental, a concentração de nitrogênio amoniacal total (TAN) foi monitorada para que fosse calculada a quantidade de melaço a ser adicionado, assumindo que 6 g de carbono são necessárias para converter 1 g de TAN em biomassa bacteriana. Ao final do experimento, o material em suspensão (floco microbiano) foi coletado para análise de composição bromatológica. Não houve diferença significativa entre os parâmetros de qualidade de água monitorados em ambos os tratamentos durante o período experimental. A sobrevivência e conversão alimentar não apresentaram diferenças significativas entre os tratamentos. Da mesma forma, a sobrevivência e o fator de conversão alimentar não apresentaram diferenças significativas entre os tratamentos. Porém, os camarões cultivados no tratamento Probiótico apresentaram peso médio final significativamente maior (p<0,05) (0,78 ± 0,32 g) em relação ao controle (0,66 ± 0,21 g). A composição bromatológica do floco microbiano no tratamento com probiótico apresentou proteína e extrato etéreo significativamente maior que o controle, o que pode ter proporcionado o melhor desempenho dos camarões. Portanto, a utilização de probióticos em meio heterotrófico pode ser recomendada como alternativa para melhorar a qualidade nutricional do floco microbiano e a performande dos camarões.

https://argo.furg.br/?BDTD115

TEXTO COMPLETO