Condição fisiológica e imunológica do camarão-rosa do Golfo do México Farfantepenaeus duorarum (Burkenroad, 1939) cultivado em Sistema BFT (Bio-Floc Tecnology)

Autor: Manuel Angel Valenzuela Jimenez (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Wilson Francisco Britto Wasielesky Junior
Co-orientador: Dr Carlos Rosas (UNAM/México)
Co-orientador: Dr Gerard Cuzon (IFREMER/França)

Resumo

O camarão-rosa F. duorarum é a espécie mais capturada no Golfo do México e no Mar do Caribe. Na atualidade a pesca desta espécie está colapsada. O cultivo pode ser uma alternativa para a produção e provavelmente para a sua conservação. O objetivo do presente trabalho foi estabelecer a condição fisiológica e imunológica de F. duorarum em um sistema chamado de Bio-Floc Technology (BFT) o qual trabalha com fertilização orgânica, altas densidades de estocagem, aereação intensiva, troca mínima de agua e controlando a relação C:N. Pode se estabelecer que o êxito destes sistemas de cultivo de camarões poderia estar associado com o aporte de proteína microbiana e sua conseqüência no estado fisiológico e de saúde geral dos organismos. Realizou-se um desenho experimental de dois tratamentos com quatro réplicas constituídas por oito tanques circulares com capacidade de 20 m3 durante 118 dias. O tratamento AC manteve uma troca de 30% diário e sem fertilização orgânica, para o Tratamento BFT foi adicionado melaço de cana de açúcar para manter a relação nominal C:N 20:1. Foram utilizadas juvenis de uma grama, produzidos no laboratório de larvicultura de camarões da UMDI-UNAM estocados a uma densidade de 100 juvenis/m2 e alimentados com ração comercial. A cada mês foram realizadas amostragens de hemolinfa para avaliar os metabolitos sanguíneos e variáveis como a Hemaglutinação, estouro respiratório, contagem de hemócitos totais e a atividade da profenol-oxidase (proPO). Foi medido o consumo de oxigênio ao longo do experimento. Houve diferencias significativa (p<0.05) entre os tratamentos mostrando uma melhor condição fisiológica e imunológica nos camarões do tratamento BFT. O crescimento dos camarões durante os primeiros 100 dias de cultivo foi melhor no tratamento AC. Os metabolitos sanguíneos indicam que os camarões de ambos os tratamentos se nutrem da ração, mais os indicadores imunológicos e o consumo de oxigênio parecem indicar que os flocos microbianos estimulam uma melhor condição de saúde para resistir períodos de estresse ambiental como a baixa na temperatura apresentada na metade do experimento.

TEXTO COMPLETO