Utilização de probióticos e fertilização orgânica com melaço durante a fase de berçário do camarão-rosa Farfantepenaeus brasiliensis em sistema super intensivo sem renovação de água

Autor: Diego Moreira de Souza (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Eduardo Luis Cupertino Ballester
Co-orientador: Dr Wilson Francisco Britto Wasielesky Junior

Resumo

O cultivo de camarões marinhos é uma das principais atividades econômicas desenvolvidas no ramo da aquicultura. Embora a carcinicultura brasileira seja desenvolvida com a espécie exótica Litopenaeus vannamei, espécies nativas como o Farfantepenaeus brasiliensis já demonstraram potencial para o cultivo. A aqüicultura expandiu-se o suficiente para ter implicações significativas sobre o meio ambiente e recursos naturais. Dentre os impactos negativos podemos citar a disseminação de doenças e contaminação da água por efluentes. Estratégias para minimizar esses impactos já estão sendo utilizadas, como os sistemas de berçário (intermediário entre a larvicultura e a engorda), sistemas com troca zero de água e utilização de probióticos. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da utilização de probióticos e adição de melaço como fonte de carbono sobre o desempenho zootécnico, parâmetros imunológicos e concentração de Vibrio spp. durante a produção de juvenis do camarão-rosa F. brasiliensis na fase de berçário em sistema BFT (Bio-floc tecnology). O primeiro experimento consistiu de quatro tratamentos utilizando probióticos em sistema BFT i) Bacillus cereus var. toyoi, ii) Pro-W Inve® (Bacillus spp.), iii) Biomin® START grow (Bacillus spp., Enterococcus spp., Lactobacillus spp.) e iv) tratamento controle (sem adição de probióticos). O segundo experimento consistiu de dois tratamentos: Melaço (com adição de melaço) e controle (sem adição de melaço). Durante os experimentos não foi realizada renovação de água. Os seguintes parâmetros de qualidade de água foram monitorados diariamente: temperatura, salinidade, pH e oxigênio dissolvido. Além disso, foi realizado o monitoramento bacteriológico do gênero Vibrio spp. durante o período experimental (30 dias) e foi realizada extração de hemolinfa nos dias 0, 15 e 30 para analisar parâmetros imunológicos. Os resultados foram submetidos à análise estatística com nível de significância de 5% para determinar diferenças entre os tratamentos. No experimento 1, os probióticos foram adicionados diariamente conforme indicação do fabricante, para o Bacillus cereus var. toyoi foi utilizada dose equivalente a de outros produtos a base de Bacillus spp. No experimento 2 o melaço foi adicionado sempre que os níveis de amônia apresentavam valores ≥ 1mg/L em uma relação equivalente a 6g de carbono para 1g de amônia. No primeiro experimento, os resultados demonstraram que os camarões produzidos nos tratamentos com probiótico tiveram desempenho zootécnico significativamente superior que o grupo controle. Além disso, a utilização de probióticos foi eficiente para reduzir significativamente a multiplicação de bactérias do gênero Vibrio. No segundo experimento, a adição de melaço contribuiu para melhoria do desempenho zootécnico do camarão apresentando resultados significativamente superiores comparados com o grupo controle, além de manter a concentração de Vibrio spp. estável durante o período experimental. Com relação aos parâmetros imunológicos, a concentração de hemócitos granulosos diferiu estatisticamente somente no dia 15, onde o tratamento Biomin apresentou valor superior aos demais tratamentos, enquanto os dados de proteínas totais não apresentaram diferença estatística. No segundo experimento não houve diferença estatística nos parâmetros imunológicos analisados. O uso de probióticos e a adição de melaço foram considerados eficientes e são recomendados para a produção do camarão rosa F. brasiliensis em sistema BFT durante a fase de berçário.

TEXTO COMPLETO