A utilização de anestésicos na sedação e transporte de juvenis do camarão branco Litopenaeus vannamei

Autor: Alessandra Janaína Becker (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Ricardo Berteaux Robaldo
Co-orientador: Dr Geraldo Kipper Fóes

Resumo

O camarão branco Litopenaeus vannamei é uma das principais espécies produzidas na aquicultura mundial. Muitas práticas de rotina podem gerar estresse e comprometer o estado fisiológico dos camarões, levando a uma redução no desempenho e sobrevivência. As substâncias anestésicas reduzem e tranquilizam os animais, diminuindo os custos metabólicos no transporte e melhorando a manipulação durante procedimentos aquícolas. Portanto, o objetivo deste trabalho, foi determinar os tempos de indução e recuperação para juvenis de camarão L. vannamei submetidos a banhos de imersão, em aquários com 1L de água, nos diferentes anestésicos: benzocaína (300, 400, 500mg L-1), mentol (600, 800, 1000mg L-1), Citrus lemom (84, 168, 252mg L-1), Citrus sinensis (84, 168, 252mg L-1) e Eucalyptus globulus (450, 675, 900mg L-1). Além disso, também foi avaliado concentrações para uso em práticas de manejo e transporte. No teste de estresse, os camarões foram inicialmente expostos aos tratamentos: controle (água do mar pura) por 5min e 252mg L-1 C. lemom ou 900mg L-1 E. globulus, até atingirem o estágio 2 de anestesia. Em seguida, foram expostos ao ar (30s) para o corte do rostro. Ao final, foram transferidos, aleatoriamente, para tanques (50L) com diferentes salinidades (2 ou 29ppm) para avaliação da sobrevivência (48h) (n=10camarões/tratamento/triplicata). Para o transporte, 120 camarões foram distribuídos, ao acaso, em sacos plásticos de polietileno com 10L de água e transportados por 12h nos seguintes tratamentos: controle (água do mar), etanol, 9 e 90mg L-1 de E. globulus. No final, coletou-se a hemolinfa de dois camarões, por réplica, para a determinação da glicose. Os demais espécimes foram transferidos para tanques de recuperação (50L) por 24h. Quase todos os anestésicos apresentaram tempos de indução dentro do esperado (<5min), com exceção das concentrações de 700mg L-1 de mentol e 450 mg L-1 de E. globulus. Os tempos de indução para E. globulus foram concentração-dependentes. Benzocaína e mentol apresentaram os maiores tempos de recuperação (>10min). O OE de C. lemom resultou em elevada taxa de mortalidade no teste de estresse para ambas as salinidades. Os tratamentos com E. globulus apresentaram sobrevivência total durante o transporte e no período de recuperação. Menores níveis de glicose foram encontrados nos camarões transportados em 90mg L-1 de E. globulus. Em conclusão, todos os anestésicos foram eficazes para sedação do L. vannamei. No entanto, o mentol não é indicado para anestesiar o camarão branco. As vii concentrações de 400 e 500mg L-1 de benzocaína podem ser indicadas para procedimentos de longa duração. Para ensaios de indução são recomendadas as concentrações de 300mg L-1 de benzocaína, 84mg L-1 de C. sinensis, 168mg L-1 C. lemon e 450 ou 900mg L-1 de E. globulus. A concentração de 90mg L-1 de E. globulus pode ser utilizada para transportar camarões, pois demonstra efeitos positivos na qualidade da água e no desempenho dos animais durante e após o transporte.

TEXTO COMPLETO