Efeito da restrição alimentar e jejum na atividade do sistema transportador de elétrons (ETS) em juvenis de Pacu (Piaractus mesopotamicus)

Autor: Juan Rafael Buitrago Ramírez (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Luis Alberto Romano
Co-orientador: Drª Virgínia Pedrosa

Resumo

A finalidade deste trabalho é testar a aplicabilidade de uma ferramenta normalmente utilizada na ecologia de ambientes aquáticos na bioenergética dentro da área da aquicultura, por meio da qual foi testada a atividade do sistema transportador de elétrons (ETS) em órgãos alvo da espécie Piaractus mesopotamicus submetidos a diferentes condições alimentares. O estudo é baseado na hipótese de que a atividade do ETS ou a combinação das atividades do ETS de diferentes órgãos alvo podem ser avaliadas como um biomarcador celular, com capacidade de descrever ou predizer parâmetros zootécnicos. O método de avaliação da atividade da ETS foi desenvolvido para medir a ação enzimática do ETS quantificando por colorimetria a oxidação do NADH e NADPH e redução do cloreto de 2-(p-iodofenil)-3-(p227 nitrofenil)-5-fenil tetrazolium (INT). O experimento foi desenhado para avaliar o efeito de diferentes regimes alimentares no metabolismo do pacu, sob quatro tratamentos: jejum, consumo ad libitum, outros dois de restrição alimentar com taxa de arraçoamento de 0,6% e 1 % do peso vivo/dia. Cada tratamento teve o mínimo de quatro réplicas, máximo seis (peixes) mantidos em tanques de 100 L de volume útil. Os animais foram pesados (102 ± 9,5 g) e depois mantidos 15 dias em aclimatação. Foram alimentados diariamente ad libitum com ração Supra Anzol de ouro 24 ® registrando-se o consumo diário a partir do qual determinou-se as taxas de restrição alimentar. Após aclimatação, estimou-se o peso médio inicial (115,5 ±10,4 g) e distribuiu-se aleatoriamente os peixes nas unidades experimentais dentre os tratamentos. O ensaio teve duração de 15 dias, com acompanhamento diário do consumo e a qualidade de água. Ao final do experimento os peixes foram pesados para depois tomar amostras de sangue para as análises de glicose e hemoglobina e por fim serem eutanasiados com o objetivo de extrair os órgãos alvo que foram utilizados nas análises da atividade do ETS em fígado, rim, músculo e brânquias. Foi observada a redução da glicemia no jejum e similaridade dentre os demais tratamentos. A concentração de hemoglobina não diferiu entre os tratamentos. Para a atividade do ETS só foi possível observar influência dos tratamentos no fígado e rim. Já nos parâmetros zootécnicos avaliados (ganho depeso, consumo alimentar, conversão alimentar e taxa de crescimento específico) foram encontradas em todos diferenças explicadas pelos tratamentos experimentais, pelo qual optou-se pela taxa de crescimento especifico (TCE) como variável resposta para a exemplificar a funcionalidade dos índices de ETS no fígado e rim, para a predição da TCE por meio do modelagem matemática dos dados, tendo em conta que o limitado número de dados não consegue formar um modelo de grande robustez. No entanto, o modelo conseguiu valores do R2 ajustado de 78%, sugerindo que a atividade da ETS do fígado e rim apresentaram um potencialpara a descrição e predição do crescimento do pacu.

TEXTO COMPLETO