Efeito do uso de diferentes concentrações de magnésio na água do cultivo do camarão branco do Pacífico, Litopenaeus vannamei (Boone, 1931) em baixa salinidade com tecnologia de bioflocos

Autor: Inácio Alves Neto (Currículo Lattes)
Orientador: Dr Wilson Francisco Britto Wasielesky Junior
Co-orientador: Dr Plínio Schimdt Furtado

Resumo

O sistema de bioflocos tem como vantagens o pouco uso de água e geração de efluente, além da possibilidade de desenvolvimento em baixa salinidade. Aliado ao uso da salinização artificial, vêm aumentando a viabilidade e sustentabilidade da aquicultura afastada da costa. Magnésio, mineral essencial exigido pelos crustáceos para crescimento e constituinte mais caro pode ser reduzido na salga artificial. objetivando avaliar o efeito de diferentes concentrações de Magnésio na água de cultivo, em L. vannamei cultivados em águas artificialmente salinizadas em sistema BFT foram delineados 6 tratamentos, com 3 repetições, salinidade 5 em duas fases seguindo a mesma configuração, berçário com densidade de estocagem de 1500cam/m3246 , o magnésio foi manipulado na relação Cálcio – Magnésio – Potássio. Tratamento Controle – TC (água do mar diluída); TI = 1– 3 – 0,9; TII = 1 – 2 – 0,9; TIII = 1 – 1 – 0,9; TIV = 1 – 0,5 – 0,9; TV = 1 – 0,1 – 0,9. Foram utilizadas 18 unidades experimentais com 40L, por 42 dias. Na engorda, 500 cam/m3 250 reutilizando a água com bioflocos maturados por 35 dias. Foi avaliado o desempenho zootécnico e feito uma estimativa de custos da salinização artificial. Os melhores resultados foram observados no T3 (sobrevivência = 88,33 ± 10,41; conversão alimentar 1,8 g ± 0,07; peso final 4,63 g ± 0,53), possibilitando a redução desse íon sem prejuízo aos camarões. Apesar da viabilidade de se reduzir a quantidade de sais na salinização artificial ainda há uma lacuna em relação a toxicidade de compostos nitrogenados em baixas salinidades. O nitrato, por exemplo, pode ser letal em altas concentrações e está diretamente relacionado à salinidade. Os testes de toxicidade aguda permitem analisar a relação entre o composto e outras variáveis abióticas ou bióticas. O objetivo do segundo trabalho foi determinar a concentração letal mediana (CL50-96h) e o nível de segurança do nitrato (N-NO3 -260 ) em juvenis de L. vannamei nas salinidades 5 e 10. Para a salinidade 5, um controle e cinco tratamentos foram testados, com concentrações de 100, 500, 1500, 2500 e 3500 mg.L-1. Para salinidade de 10 g.L-1262 , foi adicionada uma concentração de 4500 mg.L-1263 . 45 juvenis por tratamento foram expostos às concentrações durante 24, 48, 72, 96 horas. A Concentração Letal Mediana (CL50) foi calculada e o nível de segurança recomendado para o cultivo de L. vannamei é de 60,05 e 127,61 mg.L-1 de nitrato nas salinidades 5 e 10 g.L-1266, respectivamente.

TEXTO COMPLETO